Tabela Progressiva de Previdência Privada: o que é e como funciona?

Home / Tabela Progressiva de Previdência Privada: o que é e como funciona?

tabela progressiva de previdência privada

Investir em um plano de Previdência Privada é um meio de pensar no futuro e assegurar sua condição de vida. Com a reforma da previdência, é necessário conhecer as possibilidades e se atentar às decisões para que o investidor realize a melhor escolha possível.

Os planos de previdência contam com dois regimes tributários: o progressivo e o regressivo. Eles têm características e indicações diferentes. Entenda o que é o Regime Progressivo e como funciona a tributação da tabela progressiva de previdência privada.

 O que é o Regime Progressivo?

O regime progressivo é um modelo compensável. Todo imposto de renda retido na fonte necessita ter a declaração anual de ajustes de imposto de renda de quem investe. Essa declaração, portanto, deverá ter a compensação, que é justamente a restituição em cima do cálculo de cada situação.

Calcula-se, portanto, o imposto pago no regime progressivo, os valores de renda recebidos pelo produto, além de reunir outros valores sobre a renda do investidor e deduções legais, como despesas médicas, por exemplo, para calcular a compensação do imposto de renda.

Diferenças em relação ao Regime Regressivo

No modelo progressivo, quanto maior for a renda do investidor maior será a tributação. Dessa forma, portanto, a tabela progressiva difere totalmente da tabela regressiva, já que a tabela regressiva tem o modelo definitivo, em que quanto maior for o prazo, menor será a tributação.

Além disso, os modelos progressivo e regressivo têm alíquotas diferentes. No primeiro modelo os valores mudam de acordo com a renda e a alíquota varia de 0% a 27,5%, enquanto no segundo modelo a renda não influencia na alíquota, mas sim o prazo da aplicação, com a alíquota começando em 35% e caindo com o tempo, até chegar em 10%.

Além disso, enquanto o primeiro modelo permite a compensação de imposto de renda, o segundo não permite justamente por ser um modelo definitivo.

Como funciona a Tabela Progressiva de Previdência Privada?

A tabela progressiva funciona de modo que independentemente do tempo de acumulação e resgate, o valor da alíquota se mantém. Ou seja, não importa se haverá acúmulo de dias ou anos, pois o valor da alíquota será calculado de acordo com a renda. Vale dizer também que no resgate pela tabela progressiva de previdência privada, há um desconto padronizado no valor de 15%, sendo a diferença acertada na declaração de ajuste anual.

No entanto, com a possibilidade de ajuste na declaração anual, o investidor poderá pagar mais, menos ou até mesmo nada, a depender da compensação do imposto de renda.

No modelo progressivo, por exemplo, para renda de até R$ 1.903,98, o investidor é isento de alíquota. Já quem tem uma renda acima de R$ 4.664,68 será taxado com alíquota de 27,5%, tendo parcela a deduzir do IR no valor de R$ 869,36.

Entendido que a tributação da tabela progressiva de previdência é feita de acordo com a renda do investidor, note, portanto, a progressão da porcentagem da alíquota em relação às rendas. Observe as parcelas de dedução do IR, logo abaixo:

TABELA PROGRESSIVA
RENDA – R$ ALÍQUOTA DEDUÇÃO – R$
ATÉ 1.903,98 ISENTO
DE 1.903,99 ATÉ 2.826,65 7,5% 142,80
DE 2.826,66 ATÉ 3.751,05 15% 354,80
DE 3.751,06 ATÉ 4.664,68 22,5% 636,13
ACIMA DE 4.664,68 27,5% 869,36

Quais as vantagens do Regime Progressivo?

Para que não haja prejuízo por falta de informação, é sempre necessário se atentar aos mínimos detalhes de cada tipo de tributação dos dois regimes.

Para isso, portanto, conheça as principais vantagens que podem ser analisadas nos casos abaixo referentes ao regime progressivo:

  • Por legislação, é possível fazer a mudança de tabela do regime progressivo para o regime regressivo, o que, em sentido inverso não é permitido. Isso quer dizer que uma vez que o investidor escolha o regime progressivo tem a chance de mudar para o regressivo ainda que uma única vez, já que não poderá voltar ao progressivo depois, mas a chance existe;
  • É mais indicado para quem tem horizonte de curto prazo, pois as vantagens estão justamente no resgate independentemente do prazo de acúmulo;
  • Para quem pretende retirar os valores com mais de 65 anos, já que a partir dessa idade a tabela progressiva tem seus valores dobrados para resgate;
  • Para quem tem renda alta ou despesas dedutíveis, pois é possível fazer a compensação na declaração de ajuste anual de IR;
  • Para quem tem renda inferior à faixa de isenção da tabela, justamente por ser isento de alíquota;
  • Para quem deseja resgatar em até 4 anos também há vantagem, já que em relação à tabela regressiva a alíquota seria de 30%, maior do que o máximo de alíquota de 27,5% da progressiva.

Entendeu as principais vantagens e o tipo de perfil de cada investidor da previdência privada, mas ainda está em dúvida sobre qual tabela escolher?

Saiba que é possível fazer um teste em simuladores existentes na internet. O banco Santander, por exemplo, disponibiliza um teste gratuito. Preenchendo o formulário, poderá ajudar você a entender melhor qual modelo poderia ser mais adequado. Clique aqui para acessar.

Se você gosta de conteúdo sobre previdência privada, não deixe de acompanhar o Sua Previdência Privada, aqui tem conteúdos criados especialmente para te ajudar a encontrar o melhor meio de investir no futuro.

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.