Como planejar o resgate do Santander Previdência

Home / Como planejar o resgate do Santander Previdência

Se você pretende fazer o resgate do Santander Previdência, saiba que o planejamento é uma etapa fundamental para não perder a rentabilidade do investimento. Além de considerar o tempo de aplicações, é necessário avaliar fatores como o pagamento de imposto e a forma de renda a ser recebida.

Aí, depois de tomar todas as precauções, você pode resgatar o dinheiro sem maiores preocupações. Quer saber como colocar esse planejamento em prática?

Neste guia, confira o passo a passo para analisar se é o momento certo para fazer o resgate do Santander Previdência e como proceder caso você decida solicitar a renda agora.

Dicas para o resgate do Santander Previdência 

Se você está pensando em fazer o resgate do Santander Previdência, não deixe o planejamento de lado. O fator mais importante que você deve considerar é o período do investimento — previdência privada é para o longo prazo. Justamente por isso, ela é uma modalidade de aposentadoria complementar.

O ideal é manter o dinheiro aplicado nos fundos o máximo de tempo possível. Há dois motivos centrais para isso:

  1. Quanto mais tempo o dinheiro fica aplicado, maior é a incidência de juros compostos, que são responsáveis por multiplicar os rendimentos
  2. No longo prazo, o investidor tem acesso a alíquotas menores no pagamento de Imposto de Renda, como é o caso de investimentos a partir de 10 anos no modelo regressivo.

Então, a recomendação é que você não faça resgates pelo máximo de tempo possível. Dessa forma, vai se beneficiar no futuro, tendo acesso a um rendimento ainda maior para garantir a tranquilidade financeira buscada.

Antes de fazer o resgate do Santander Previdência 

A seguir, confira alguns cuidados essenciais no planejamento antes de solicitar o resgate do Santander Previdência:

1. Avalie se é o momento certo

A primeira dica é avaliar o tempo do investimento. Conforme vimos, o objetivo da previdência privada é gerar rendimentos no longo prazo. Lembre-se de que, muitas vezes, o valor da aposentadoria social não é suficiente para garantir a qualidade de vida que você tem hoje, considerando o salário mínimo. Então, tenha em mente as suas finanças no futuro.

2. Considere a possibilidade de resgatar outros investimentos

Se você de fato precisa do dinheiro nesse momento, avalie toda a carteira de investimentos, caso faça aplicações em outras modalidades. A dica é considerar fundos e investimentos com maior liquidez que possam ser resgatados primeiro, sem que você prejudique a rentabilidade da previdência. 

3. Leve em conta o Imposto de Renda

Tenha em mente que ao fazer resgate do Santander Previdência, você terá que acertar as contas com a Receita. Na previdência privada, a incidência de Imposto de Renda incide de acordo com o plano e o regime de tributação escolhidos pelo titular. Entenda como funcionam esses fatores:

Plano: PGBL e VGBL

No Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL), você pode fazer restituição de IR na declaração a um limite de 12% da renda bruta tributável. Só que a alíquota é aplicada sobre o valor total do investimento, ou seja, sobre o valor investido mais os rendimentos.

No Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL), não é possível fazer restituição de IR. O ponto positivo é que a alíquota incide apenas sobre os rendimentos.

Tributação: regressiva e progressiva

Em relação ao regime de tributação, há duas tabelas: a regressiva e a progressiva. Na tabela regressiva, quanto maior é o tempo de aplicação, menor é a alíquota de IR que o investidor paga. Funciona assim:

  • Até 2 anos: 35%
  • De 2 a 4 anos: 30%
  • De 4 a 6 anos: 25%
  • De 6 a 8 anos: 20%
  • De 8 a 10 anos: 15%
  • Acima de 10 anos: 10%.

Já no modelo progressivo, a cobrança é diferente. O imposto é cobrado na fonte, de forma antecipada, à alíquota de 15%. Depois, no resgate, esse valor é ajustado conforme uma tabela progressiva, que vai de 0 a 27,5%, com alíquota proporcional ao montante recebido.

Como fazer o resgate do Santander Previdência

Se você decidiu fazer o resgate do Santander Previdência depois de tomar os cuidados necessários, confira o passo a passo a seguir:

1. Observe o prazo de carência

No Santander Previdência, o prazo de carência é de 60 dias a contar da data de protocolo da proposta de inscrição no plano. Ou seja: antes desse período, você não pode realizar resgates. Além disso, o mesmo prazo vale para o período entre cada resgate.

2. Defina o tipo de renda

Na previdência privada, você escolhe a forma de renda que prefere receber no resgate. Entre as modalidades, estão renda mensal vitalícia e temporária. Você também pode fazer o resgate em uma única vez, mas, nesse caso, o investimento é encerrado.

3. Encaminhe a solicitação de resgate

Por fim, feitos os passos acima, encaminhe a solicitação de resgate. Nesse caso, você precisa entrar em contato com o gerente de conta para obter orientações sobre o encaminhamento do pedido e os documentos necessários.

Se não tiver contato direto com seu gerente, não tem problema. Acesse esta página e encontre a melhor forma de comunicação com o seu banco.

E aí, entendeu como funciona o resgate do Santander Previdência? Se você gostou das dicas, compartilhe.

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.