Existe previdência privada sem taxa de carregamento? Descubra quais são elas!

Home / Existe previdência privada sem taxa de carregamento? Descubra quais são elas!

O crescimento na taxa de expectativa de vida é um fenômeno que temos observado em todo o mundo. Junto com ele, cresce o percentual de idosos, uma parcela da população que deixa de atuar no setor produtivo e por isso depende de um bom planejamento financeiro prévio para usufruir da terceira idade de forma tranquila.

Contar com a previdência social pode não ser a melhor opção, principalmente porque os valores pagos a título de aposentadoria são baixos frente às necessidades e demandas da terceira idade. É por isso que muitas pessoas optam pela contratação de planos de previdência privada que surgem como uma possibilidade de complementação da renda e contribuem para uma aposentadoria mais confortável e tranquila.

Ocorre que nos últimos anos os planos de previdência privada sofreram alguns ataques, especialmente de investidores que defendiam a ideia de que a previdência privada não era uma opção de investimento vantajoso, frente à outras alternativas disponíveis no mercado. Infelizmente, este tipo de pensamento ainda permeia alguns analistas do setor. 

Entretanto, este tipo de pensamento é equivocado já que, para avaliar a vantagem ou desvantagem de um plano de previdência na prática, é imprescindível conhecer as taxas que são cobradas pela seguradora. Isso significa que, por mais que existam algumas opções desvantajosas, também existem alternativas muito interessantes economicamente e é justamente sobre elas que falaremos aqui. 


Neste artigo, você entender porque a previdência privada é uma boa opção e como os produtos de previdência privada sem taxa de carregamento podem ser mais vantajosos na montagem do seu plano de aposentadoria. Acompanhe e descubra! 

Como escolher uma previdência privada?

Investir em um plano de previdência privada é uma excelente opção. Entretanto, assim como acontece com qualquer outro produto de investimento, é essencial avaliar todas as taxas, prazos e custos associados aquele produto.

Quando falamos em previdência privada, primeiro é preciso conhecer o seu conceito e entender qual é a sua função, a partir daí você consegue avaliar se o produto está alinhado com as suas necessidades e expectativas.

A previdência privada é uma aposentadoria que não está ligada ao poder público, ou seja, ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).O contrato é firmado entre uma pessoa física e uma instituição que oferece este tipo de produto. 

A função da previdência na modalidade privada é auxiliar na construção de uma renda que servirá como reforço da aposentadoria recebida no INSS. Dessa maneira, o investidor consegue planejar e construir uma renda para o futuro sem comprometer a sua renda atual.

Existem dois tipos de Previdência Privada: o Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL) e o Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL). A diferença entre eles é a existência ou não de uma vantagem fiscal, ou seja, um benefício atrelado ao pagamento do Imposto de Renda. Entenda!

PGBL

No Plano Gerador de Benefício Livre o usuário tem a opção de declarar o plano no seu Imposto de Renda, deduzindo até 12% do tributo devido. Por isso esta costuma ser uma opção interessante para quem declara anualmente sua renda para a Receita Federal.

VGBL

Já no Vida Gerador de Benefício Livre não existe a possibilidade de deduzir o Imposto de Renda, sendo a tributação semelhante a regra geral dos fundos de investimento, que pode seguir as tabelas progressiva ou regressiva do IR. De forma geral, o VGBL costuma ser indicado para aquelas pessoas que fazem a declaração de IR simplificada.

Entretanto, a escolha da sua previdência privada e a definição entre o PGBL e VGBL deve partir também da análise de alguns outros critérios, como as taxas e custos atrelados.

O que o investidor deve ter em mente é que previdência privada é um produto financeiro com potencial de alta lucratividade para investidores a longo prazo graças aos incentivos fiscais. Ou seja, a rentabilidade e os benefícios do investimento estão diretamente relacionados a análise das características de cada produto, bem como as suas taxas, tributos e custos.

É nesse contexto que passamos a falar das taxas de carregamento, um custo importante e que impacta diretamente na rentabilidade e viabilidade do investimento em previdência privada. A seguir, você vai entender o que são as taxas de carregamento e a influência delas no investimentos em previdência privada. 

O que são taxas de carregamento?

A taxa de carregamento é um percentual cobrado pelos planos de previdência privada e que incide diretamente sobre o valor total do investimento. A quantia cobrada é utilizada pela seguradora para cobrir despesas administrativas e de corretagem.

A taxa pode ser cobrada na entrada, na saída ou de forma híbrida. Falaremos a seguir das modalidades mais comuns: de entrada e saída.

Taxa de Entrada

A taxa de carregamento de entrada é cobrada no momento da aplicação, por isso, incide sobre o valor inicial aplicado. Dessa maneira, um percentual da aplicação inicial será destinado para a instituição que administra o plano de previdência. 

Imagine, por exemplo, que você faz uma aplicação inicial de R$ 10.000,00 e a taxa de carregamento de entrada cobrada seja de 1%. Neste caso, R$ 9.900,00 serão aplicados no fundo, enquanto os R$ 100,00 restantes ficarão para a instituição financeira.

Taxa de Saída

Diferente da taxa de entrada, a taxa de carregamento de saída, como o nome já sugere, é um percentual cobrado do investidor no momento do resgate da sua aplicação. Assim, quando o investidor retira os valores do fundo, uma parte é retida pela instituição financeira.

Vamos imaginar o mesmo exemplo anterior, você fez uma aplicação inicial de R$ 10.000,00 com uma taxa de carregamento de saída de 1%. Imagine que a aplicação se valorizou e o valor a ser resgatado é de R$ 20.000,00. Neste caso, a taxa de carregamento incide sobre o valor investido inicialmente, e você fará o resgate de R$ 19.900,00.

Utilizamos apenas um exemplo, mas é importante você ter em mente que alguns planos podem cobrar até 10% de taxa de carregamento.

Todavia, enquanto algumas instituições fazem a cobrança da taxa, existem opções de previdência privada sem taxa de carregamento. A seguir, elencamos os principais serviços do mercado brasileiro, com um breve comparativo dos prós e contras de cada um deles e informações atualizadas sobre a cobrança da taxa. Confira!

Quais previdências privadas não cobram taxa de carregamento?

Vamos entender melhor como a previdência privada sem taxa de carregamento se comporta na prática? Confira a seguir!

Bradesco

Desde 2017, o Banco Bradesco oferece planos de previdência privada sem taxa de carregamento.

A medida se aplica a maior parte dos seus produtos financeiros, entretanto, poderá haver cobrança em alguns modelos específicos. Por isso, antes de contratar é importante verificar o contrato e avaliar meticulosamente as taxas.No site da instituição, você pode ter acesso a informações completas sobre todos os produtos disponíveis.

No caso do Bradesco, é importante destacar que no plano Prev Classic 3 em 1, uma modalidade de seguro chamado de Vida com Remuneração Garantida e Performance, haverá cobrança de taxa de carregamento de entrada para clientes com menos de 48 anos e taxa de saída em todas as faixas etárias.

A grande vantagem é que, caso você permaneça no plano por 25 meses, a cobrança será zerada.

Itaú

No caso do Banco Itaú, o produto de plano de previdência privada sem taxa de carregamento é regra. Assim, não há incidência da taxa nem na entrada nem na saída da aplicação.

A regra vale tanto para o Programa Gerador de Benefício Livre quanto no Vida Gerador de Benefício Livre.

Entretanto, é importante destacar que há incidência de outras taxas que devem ser analisadas individualmente de acordo com a proposta e os objetivos do cliente. 

Santander

Assim como o Itaú, o Santander é outro exemplo de instituição que oferece previdência privada sem taxa de carregamento. A regra vale tanto para o PGBL quanto para o VGBL e contempla tanto taxas de entrada quanto de saída.

A regra está em vigor desde 2018, entretanto, os clientes devem ficar atentos ao fato de que a seguradora oferecida pela instituição é oriunda de uma parceria com a seguradora Zurich.

As regras para contratação de plano de previdência direta com a Zurich são diferentes. Por isso, quem contratar diretamente pela seguradora poderá ter que pagar a taxa de carregamento.

Caixa Econômica Federal

A Caixa Econômica Federal também oferece previdência privada sem taxa de carregamento. Entretanto, poderá haver a cobrança em alguns casos.

A instituição informa que não cobra taxa de carregamento na entrada, tanto no caso do PGBL quando do VGBL, desde 2012.

Entretanto, haverá cobrança de taxa de carregamento de saída em alguns planos e a cobrança depende basicamente de dois fatores: valor aplicado e prazo do investimento.

Quem permanece mais de três anos com aplicação não paga a taxa da saída. Nos demais casos, se aplica a tabela abaixo:

Safra

O Safra é outro exemplo de instituição que oferece planos previdência privada sem taxa de carregamento.

A regra é geral e se aplica a todos os produtos de previdência privada, assim, não incide taxa de carregamento nem na entrada e nem na saída tanto para o plano PGBL quanto para o VGBL.

SulAmérica

A SulAmérica Seguros é outro exemplo de  instituição que oferece plano de previdência privada sem taxa de carregamento. A regra se aplica na entrada e na saída, tanto no plano do tipo PGBL quanto no plano do tipo VGBL.

Unimed Seguros

No caso da Unimed Seguros, a instituição informa que não há cobrança de taxa de carregamento na entrada de todo os produtos de previdência privada. Todavia, poderá haver cobrança na saída, a regra de cobrança varia de acordo com o saldo acumulado e o prazo da aplicação.

Via de regra, as taxas de carregamento de saída podem chegar a zero no caso de investimento com prazo superior a 13 meses e e com saldo superior a R$ 80.000,00.

Mapfre

A Mapfre cobra taxa de carregamento em alguns dos seus planos de previdência privada. O interessante é que neste caso é possível zerar o carregamento de planos a curto prazo.
Elencamos a seguir os três principais planos da Mapfre: Plano Barcelona, Plano Madri e Plano Sevilla.

Plano Barcelona

Taxa de carregamento cobrada na entrada, podendo chegar a zero no caso de aplicações superiores a R$ 1.000,00.
Plano Madri

Taxa de carregamento cobrada na saída, podendo chegar a zero dependendo do valor acumulado no plano e do prazo da aplicação.

Plano Sevilla

Taxa de carregamento cobrada na saída, podendo chegar a zero dependendo do valor acumulado no plano e do prazo da aplicação.

Icatu

De acordo com as informações trazida no site da Icatu Seguros, a instituição oferece plano de previdência privada sem taxa de carregamento. A regra se aplica tanto na entrada quanto na saída, nos planos Vida Gerador Benefício Livre e Plano Gerador Benefício Livre.

BrasilPrev

O BrasilPrev, em linhas gerais não cobra taxa de carregamento de entrada ou saída. A regra se aplica tanto aos planos PGBL quanto ao VGBL. Entretanto, é importante destacar que existem algumas exceções aplicáveis à planos antigos (Plano Tradicional e Renda Garantida) que não são mais comercializados. Assim, a cobrança da taxa ocorrerá apenas para os clientes que já aderiram ao plano.

XP Investimentos

A XP Investimentos oferece planos previdência privada sem taxa de carregamento.

A regra é geral e se aplica a todos os produtos de previdência privada, assim, não incide taxa de carregamento nem na entrada e nem na saída tanto para o plano Programa Gerador Benefício Livre quanto para o Vida Gerador Benefício Livre.

Como você pode ver, o mercado é muito dinâmico e existem diversas propostas relacionadas à cobrança ou não da taxa de carregamento. Enquanto algumas instituições oferecem previdência privada sem taxa de carregamento, outras flexibilizam a cobrança em alguns produtos e cobram a taxa em outras.

O que se pode perceber, analisando o mercado, é que muitos dos melhores planos de previdência privada do mercado oferecem opções de seguro sem taxa de carregamento, tanto no PGBL quanto no VGBL.

A dica é que antes de escolher um plano de previdência privada você avalie ponto a ponto todas as taxas cobradas, as regras de tributação e demais fatores de cobrança incidentes sobre os produtos. Só assim será possível avaliar a vantagem, ou não, de realizar o investimento.

Você gostou de saber mais sobre previdência privada sem taxa de carregamento? Então aproveite para conferir este post especial e saiba mais sobre as vantagens de incluir uma previdência privada no seu plano de investimentos.

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.