Previdência privada ou Debêntures: qual investimento escolher?

Home / Previdência privada ou Debêntures: qual investimento escolher?

Previdência privada ou Debêntures

Além de trabalhar para ganhar dinheiro, você já pensou em fazer o dinheiro trabalhar para você? É essa analogia que se costuma fazer no mercado financeiro quando se faz aplicações. E no texto de hoje vamos falar sobre duas possibilidades, previdência privada ou debêntures: qual investimento escolher?

Tanto a previdência privada quanto as debêntures são aplicações com boas possibilidades de rendimento. A opção por uma ou outra vai depender essencialmente do valor disponível, do tempo que esse dinheiro ficará aplicado e do objetivo do investidor para ele. 

Uma máxima entre os especialistas é buscar sempre a diversificação, ou seja, não deixar todo o seu dinheiro em um único local. Dessa forma, se você tiver a possibilidade de fazer os dois investimentos, melhor!

Mas se é necessário escolher previdência privada ou debêntures, ou mesmo se você precisa avaliar se coloca mais recursos em um ou outro, é preciso conhecer as características de ambos. Então siga conosco no texto para saber mais do assunto.

O que é previdência privada

A previdência privada é um investimento de longo prazo, complementar à previdência do INSS. Ela serve basicamente para melhorar a renda da pessoa quando ela parar de trabalhar. Os planos de previdência realizam aplicações em fundos que podem conter diferente ativos, como renda fixa, ações, câmbio, entre outros.

A previdência é bastante indicada para quem quer fazer uma poupança forçada com boa rentabilidade, mas que não tem muito conhecimento sobre mercado financeiro e não tem tempo para estudar e acompanhar esse universo. Assim, o trabalho de escolher onde investir para ter a melhor renda fica com a instituição financeira que administra o fundo.

O que o investidor de previdência precisa, essencialmente, é escolher um banco ou corretora de confiança. Além disso, é importante conhecer seu próprio perfil (conservador, moderado ou arrojado), para poder optar pelo plano que mais lhe agrade. A previdência privada é também indicada para quem conhece de investimentos e deseja diversificar sua carteira, como dissemos no início do texto.

Existem duas modalidades de planos de previdência: Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL) e Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL). Eles diferem no pagamento de imposto de renda e na possibilidade de restituição (veja os detalhes dos dois tipos neste post). 

Em uma previdência privada é possível ainda optar entre os modelos progressivo e o regressivo de alíquotas. Eles variam conforme o valor aplicado e conforme o período de resgate (saiba mais do assunto aqui).

O que são Debêntures?

Debêntures são títulos de crédito de empresas privadas. Na prática, ao comprar uma debênture o investidor está emprestando dinheiro para uma organização. A rentabilidade desse empréstimo vai depender das regras que foram estabelecidas pela empresa ao lançar as debêntures e estão descritas em um documento chamado “Escritura de Emissão”.

Juros fixos ou variáveis, participação no lucro da companhia e prêmios são alguns dos exemplos de como as debêntures podem render aos investidores. Esse rendimento pode ser classificado, de maneira geral, entre pré-fixado, pós-fixado ou híbrido.

Nos investimentos pré-fixados, a empresa definirá o valor a ser pago pelas debêntures: 8% ao ano, por exemplo. Neste caso, independentemente do que ocorrer na economia, o debenturista (como é chamada a pessoa que comprou debêntures) irá ter esse rendimento.

No caso dos pós-fixados, a rentabilidade desses títulos é atrelada a um índice, como a inflação ou a taxa Selic. Por fim, o híbrido reúne um indexador de mercado mais um valor pré-fixado: IPCA+2,5%, por exemplo.

Além do rendimento, a Escritura de Emissão deve também falar do vencimento dos títulos e das garantias deste investimento. As debêntures não estão amparadas pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC) e as garantias de quem investe são dadas pela própria empresa que as emite. A organização pode lançar debêntures com as seguintes regras:

– Garantia Real: quando um bem da empresa é dado como garantia e por isso ele não pode ser vendido.

– Garantia Flutuante: qualquer ativo da empresa pode ser dado como garantia e nesse caso pode haver negociação de venda.    

– Debêntures sem garantias

Outra característica das debêntures é que algumas podem ser convertidas em ações da empresa após o vencimento. Para isso também é necessário que essa condição esteja na Escritura.

Uma empresa que lança debêntures pode ter vários objetivos, como ampliar suas instalações fazendo novos investimentos ou mesmo renegociar alguma dívida já existente da companhia. Para a organização pode ser bem mais vantajoso pegar recursos emprestados de pessoas físicas investidoras dessa forma em vez de recorrer a um empréstimo bancário, porque ela tem a possibilidade de pagar menos juros e com um prazo estendido.

Uma consideração importante na hora de comprar debêntures é avaliar a situação da empresa para saber se ela é uma boa “pagadora”. Essa é uma forma de minimizar o risco deste investimento.

Principais diferenças entre Previdência privada e Debêntures

Previdência privada ou debêntures, se você está na dúvida entre qual investimento fazer, confira este quadro comparativo que pode lhe ajudar a decidir:

  Previdência privada Debêntures
Mínimo de investimento Com menos de R$ 100 por mês é possível abrir uma previdência privada Em geral um título tem valor mínimo de R$ 1 mil, mas pode ser maior que isso
Período Possui um período de carência que pode variar de 60 dias a 2 anos, mas para funcionar como investimento deve ser considerado de longo prazo (mais de 6 anos) O vencimento será definido na Escritura, mas em geral varia entre 2 e 10 anos
Perfil Pode ser de baixo, médio ou alto risco, a depender do fundo contratado Pode ser considerado entre baixo e moderado
Rentabilidade Pode ser renda fixa, variável ou misto, a depender do fundo contratado Renda fixa, ao contratar o investidor já tem uma ideia da rentabilidade
Taxas Possui taxa de administração e de carregamento. Esta última muitas vezes é isentada pelo banco para tornar o plano mais atrativo Pode conter taxa de intermediação e de custódia, mas muitas vezes ambas são isentadas pelas instituições financeiras para tornar o produto mais atrativo
Imposto Reconhe imposto de renda. Alíquotas variam entre 10% e 35% conforme o plano escolhido. Recolhe imposto de renda. Alíquotas variam entre 15% e 22,5% conforme o tempo de investimento. Pode ter isenção se fizer parte de segmentos considerados prioritários pelo governo federal (são as chamadas “debêntures incentivadas).

Critérios para escolher Previdência privada ou Debêntures

Como falamos no início do texto, para escolher entre previdência privada ou debêntures é preciso avaliar a quantia que você tem disponível, o tempo que pretende deixar o dinheiro aplicado e como você pretende utilizar o recurso após o resgate. Não adianta querer aplicar em debêntures se você não tem a quantia mínima do título, assim como pouco adianta investir em previdência se você quer resgatar o dinheiro muito cedo. 

Antes de optar por qualquer investimento responda às perguntas:

– Quanto dinheiro eu tenho para investir?

– Posso fazer aportes mensais?

– Vou precisar desse dinheiro logo ou posso deixá-lo rendendo?

– Posso perder rendimento se no longo prazo houver ganho ou não quero nenhum tipo de desvalorização e por isso aceito ganhar menos no baixo risco?

– O que eu quero fazer com esse dinheiro quando resgatá-lo?

Com isso você entenderá melhor o seu próprio perfil investidor e o seu objetivo com uma aplicação. Esses devem ser os primeiros critérios na escolha entre previdência privada ou debêntures. Além disso, considere sempre a diversificação, evitando colocar todos os ovos na mesma cesta, como diz o ditado.

Vantagens de ter previdência privada e investimentos em Debêntures

Qualquer investimento possui vantagens e desvantagens. Confira quais são as referentes à previdência privada e às debêntures. 

  Previdência privada Debêntures
Vantagens – Boa rentabilidade – Escolher entre tributação progressiva ou regressiva. – Portabilidade – Sem come-cotas – Não precisa ser declarado em inventário em caso de falecimento – Boa rentabilidade – Boa liquidez, é fácil vendê-las no mercado secundário – Pode ter isenção de imposto de renda
Desvantagens – Não tem garantia do FGC – Pagamento de taxas que podem comprometer o real rendimento – Não tem garantia do FGC – Pagamento de taxas que podem comprometer o real rendimento

Você já conhecia as debêntures como opção de investimento? Gostou dessa possibilidade? Já conhecia as vantagens e características da previdência privada? Tem dúvidas sobre previdência? Acesse www.suaprevidencia.com.br e fique bem informado.

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.