Previdência privada ou CRI: saiba tudo para investir melhor

Home / Previdência privada ou CRI: saiba tudo para investir melhor

Previdência privada ou CRI

A previdência privada é um investimento feito em um fundo (carteira de ativos) e os CRI são títulos comprados pelo investidor que geram um direito de crédito. As previdências privadas ganharam destaque recentemente com a aprovação da reforma da previdência do INSS (Instituto Nacional de Seguridade Social), que endureceu as regras para que as pessoas possam parar de trabalhar.

De acordo com dados da FenaPrevi (Federação Nacional de Previdência Privada e Vida), os aportes e contribuições em planos de previdência chegaram à marca de R$ 126,4 bilhões em 2019, um crescimento 16,9% em relação ao ano anterior. 

Tanto a previdência privada quanto o CRI podem ser bons investimentos pensando em renda complementar para a aposentadoria. Neste post vamos explicar cada um deles para que você possa avaliar se tem mais perfil para aplicar em previdência privada ou CRI. 

O que é previdência privada

A previdência privada é um investimento em fundo classificado como longo prazo e sua principal finalidade é justamente ser um complemento de renda na aposentadoria. Ela pode ser feita para qualquer pessoa – mesmo uma criança sem renda pode ter uma previdência em seu nome feita por seus pais ou responsáveis, por exemplo.

As previdências privadas são oferecidas por bancos e instituições financeiras. Para ter um desses planos a pessoa interessada pode fazer um depósito único na contratação do serviço ou realizar aportes mensalmente. E o valor a ser depositado numa previdência pode ser bastante baixo (em geral é possível começar a poupar com menos de R$ 100 por mês).

Da mesma forma, o resgate do valor investido pode ser feito de uma única vez ou em parcelas. Se a opção for por um valor mensal, o recebimento também pode variar entre uma quantia maior até que o beneficiário receba tudo que poupou mais seus rendimentos, ou uma quantia menor até o fim da vida.   

Os planos de previdência privada são divididos em dois tipos: Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL) e Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL). No PGBL, o valor investido pode ser declarado à Receita Federal com o objetivo de restituição (no limite de até até 12% da renda bruta anual) e no resgate será descontado imposto do valor total. No VGBL não há possibilidade de restituição, mas o imposto pago na retirada será só sobre rendimentos da previdência.

Por exemplo: ao longo da vida uma pessoa depositou R$ 300 mil em sua previdência privada e teve R$ 40 mil de rendimentos, somando R$ 340 mil. Se sua previdência for PGBL, o imposto a ser pago no resgate será sobre R$ 340 mil, se for VGBL será sobre R$ 40 mil.

A previdência privada possui ainda dois modelos de imposto: o progressivo e o regressivo. No progressivo o pagamento aumenta conforme o valor aplicado. Já no regressivo a variação está relacionada ao período de resgate. Se a retirada for feita em até 2 anos a alíquota será de 35%, se for feita em 10 anos ou mais a porcentagem será de 10%.

Os planos de previdência privada são regulamentados pela Superintendência de Seguros Privados (Susep). Como a previdência privada é um fundo, que pode incluir ativos variados (renda fixa, ações etc.), ela tende a gerar uma boa rentabilidade para quem opta por essa forma de complemento de renda na aposentadoria.

O que é CRI?

Os Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) são investimentos de renda fixa. Na prática o investidor que compra esses títulos antecipa os valores que serão recebidos pelo setor imobiliário, ajudando a financiá-lo.

Veja um exemplo: uma construtora inicia a construção de um condomínio. As unidades destes imóveis (casa, apartamentos, salas) podem ser financiadas, ainda na planta, por qualquer pessoa. Mas para receber o dinheiro antes que os compradores paguem todo seu financiamento a construtora contrata uma securitizadora que transforma o imóvel em títulos, o CRI.

Quem investe em CRI “empresta” o valor para a construtora e recebe o dinheiro de volta com juros. O CRI é considerado um investimento de médio e longo prazo, possui rentabilidade geralmente pré-fixada e muitas vezes com acréscimo da inflação.

Ele é regulamentado pela lei 9.514, de 1997.

Principais diferenças entre Previdência Privada e Certificado de Recebíveis Imobiliários

Agora que você já sabe as características destes dois investimentos, veja as principais diferenças para entender se é melhor ter uma previdência privada ou CRI: o CRI é um investimento de renda fixa e a previdência privada pode incluir vários tipos de ativos como renda fixa, câmbio e ações. Isso faz com que o rendimento de cada um desses tipos de investimento seja distinto também.

Além disso, há diferenças em relação aos custos. Para fazer uma previdência privada o investidor precisa pagar algumas taxas como de administração e de carregamento e os valores aplicados são tributados no imposto de renda. Já o CRI é isento de imposto de renda e há menos taxas a pagar.

3 critérios para escolher Previdência privada ou CRI

O primeiro critério a considerar para escolher entre previdência privada ou CRI na hora de investir é o tempo para o resgate. Ambos são investimentos de médio e longo prazo, mas no caso da previdência privada o ideal é que o valor investido realmente seja retirado somente quando a pessoa se aposentar, para que ela sirva ao propósito de complemento de renda.

Dessa forma se você pensa em investir para ter uma rentabilidade no médio prazo e utilizar o dinheiro para outro objetivo, como fazer uma viagem ou adquirir algo, o CRI pode ser uma opção melhor.

O segundo ponto que o investidor deve avaliar é seu perfil: conservador, moderado ou arrojado. O CRI tem uma rentabilidade definida no momento da contratação então está entre os investimentos de conservador a moderado. Já a previdência privada possui opções de ativos que variam do baixo ao alto risco.

O terceiro critério a considerar é o valor. Se o investidor tem pouco dinheiro inicialmente (menos de R$ 1 mil), mas disciplina para fazer aportes mensais por bastante tempo, certamente a previdência privada será uma opção melhor que o CRI. Se o valor inicial é mais alto, o investimento pode ser tanto em previdência quando em CRI, a depender da avaliação dos critérios anteriores. 

Vantagens de ter previdência privada e investimentos em Certificado de Recebíveis Imobiliários

Todos os investimentos possuem vantagens e desvantagens e com a previdência privada ou CRI não é diferente. Confira os principais benefícios de cada um deles:

Vantagens da Previdência Privada:

  • O investidor pode escolher o modelo de tributação (progressivo ou regressivo) e há modalidade de restituição no imposto de renda.
  • Portabilidade: se você fez uma previdência privada e não está satisfeito com as taxas ou rentabilidade da instituição financeira que contratou é possível mudar para outra instituição sem nenhum custo.
  • Sem come-cotas: a previdência privada é um investimento isento de come-cotas (nome dado à antecipação da alíquota de Imposto de Renda).
  • Não precisa ser declarada em inventário: no caso de falecimento do investidor, o valor investido será repassado ao beneficiário indicado na contratação do plano sem a necessidade de declaração em um inventário.

Uma desvantagem da previdência privada é que ela é um investimento que não é garantido pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC). Além disso, como possui taxas ela pode ser menos atrativa que outros investimentos com rentabilidade parecida e sem pagamento de taxas.

Vantagens do CRI:

  • Isento de imposto de renda
  • Isento de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras)
  • Previsibilidade: por ser renda fixa o investidor tem como saber qual valor irá receber.
  • Imóveis como garantia: o CRI é um “dinheiro emprestado” no mercado imobiliário, então mesmo que a securitizadora tenha problemas financeiros, a garantia do investimento é o imóvel em construção.

O CRI também não é garantido pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC).

Ter um complemento de renda para a aposentadoria é muito importante e quanto antes a pessoa começa a investir melhor. Previdência privada ou CRI, como explicamos, podem ser boas opções. Mais dúvidas sobre previdência? Acesse www.suaprevidencia.com.br e fique bem informado.

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.