Como declarar Fundos de Investimentos no IR 2020?

Home / Como declarar Fundos de Investimentos no IR 2020?

como-declarar-fundos-de-investimentos

Começou em 2 de março o prazo para declarar o Imposto de Renda (IR) de 2020, mas a

data limite foi estendida para 30 de junho por causa da pandemia do novo coronavírus.

Desse modo, dá tempo de correr atrás de sanar as dúvidas, por exemplo, sobre como

declarar Fundos de Investimentos.

É importante saber desde sempre que mesmo que haja isenção da declaração do IR, ainda

é recomendado para aqueles que investem em Fundos declarar. Há, porém,

quatro tipos de campos nos quais esses Fundos podem entrar.

Conheça cada um deles e entenda como declarar Fundos de Investimentos no IR 2020!

Declaração IR para Fundos de Investimentos

A declaração de imposto de renda é a forma como a Receita Federal (RF) poderá analisar seus rendimentos, tanto de modo a comprová-los quanto para justificá-los perante o sistema.

O Imposto de Renda (IR) é um tributo que incide sobre os ganhos dos contribuintes, sendo administrado pela RF e destinado ao governo federal.

Há regras e critérios a cumprir, então cada contribuinte deve estar atento e se informar para saber se terá a obrigação de declarar o IR em 2020.

Quem investe, por exemplo, também poderá precisar entender como declarar Fundos de investimentos, que possuem tributação diferenciada de acordo com cada aplicação.

Os Fundos de Investimentos podem constar em uma dessas abas abaixo:

  • Bens e Direitos: nessa, são declarados todos os tipos de bens e direitos, como investimentos, imóveis e outros bens;
  • Rendimentos Tributáveis: já aqui entram os rendimentos vindos de atividade salarial, pensão alimentícia e outras;
  • Rendimentos Isentos e Não Tributáveis: nesse caso, há os rendimentos cuja tributação não incide, como Poupança, LCI e LCA, alguns Fundos de Investimento, entre outros;
  • Rendimentos Sujeitos à tributação exclusiva: por fim, aqueles rendimentos cuja tributação é exclusiva entram aqui, como aplicações cujo recolhimento é na fonte.

Antes de saber como declarar Fundos de Investimentos, entenda como funciona a tributação para esses casos no próximo tópico. Acompanhe!

Impostos para Fundos de curto e longo prazo

Como dito, a tributação dos Fundos de Investimentos varia de acordo com os ativos. Então, as alíquotas têm seus valores por meio do prazo de vencimento desses ativos na carteira do fundo e mudam com o tempo de aplicação.

Nesse sentido, há diferença de tributação para Fundos de Investimentos de curto e longo prazo. Mas o que define isso, afinal?

Fundos de curto prazo são aqueles que possuem ativos que vencem em menos de 365 dias. Já os de longo prazo, possuem ativos que vencem em um prazo superior a 365 dias, como a maioria dos fundos.

A tributação dos fundos de investimento pode acontecer tanto na hora do resgate quanto uma vez a cada seis meses, que é quando há o famoso come-cotas.

Lembrando que as alíquotas variam conforme prazo e regime do fundo.

Em relação à tributação de fundos a longo prazo, segue tabela abaixo:

Tabela regressiva de IR (Fundos de longo prazo)
Prazo da aplicaçãoAlíquota
Até 180 dias22,5%
De 181 a 360 dias20%
De 361 a 720 dias17,5%
Acima de 720 dias15%

Já em relação às alíquotas para fundos de curto prazo, observe a tabela a seguir:

Tabela regressiva de IR (Fundos de curto prazo)
Prazo da aplicaçãoAlíquota
Até 180 dias22,5%
Acima de 181 dias20%
De 361 a 720 dias17,5%
Acima de 720 dias15%

Entendidas as formas de tributação, descubra como declarar Fundos de Investimentos. Confira!

Como declarar Fundos de Investimentos?

Por estarem sujeitos à tributação exclusiva, os Fundos de Investimentos precisam constar em duas fichas na declaração do IR.

Então, comece com o acesso ao programa disponível pela Receita Federal para preenchimento da declaração. Para isso, escolha uma das opções abaixo:

Feito isso, entenda como declarar Fundos de Investimentos nos dois momentos necessários:

  • abra a ficha “Bens e Direitos” para preencher com o saldo das operações;
  • a aba “Rendimentos de Aplicações Sujeitas à Tributação Exclusiva/Definitiva” é usada para informes sobre os rendimentos das operações (mesmo sem saques).

Além disso, há um código para cada tipo de fundo, conforme segue abaixo:

  • 71 – Fundos de curto prazo;
  • 72 – Fundos de longo prazo;
  • 73 – Fundos imobiliários;
  • 74 – Fundos de ações e ETFs.

Para adicionar todos os Fundos de Investimentos, é preciso fazer o processo para cada um deles, selecionando “Novo” e depois “Editar”. Na “Discriminação”, informe o nome do fundo e o CNPJ do administrador.

E como declarar Fundos de Investimentos com ganhos?

Nesse caso, faça o seguinte:

  • abra a aba “Rendimentos de Aplicações Sujeitas à Tributação Exclusiva/Definitiva”;
  • em “Tipos de investimento”, selecione “Rendimentos de Aplicações Financeiras”;
  • informe o tipo de titular, o beneficiário, o CNPJ, o nome da fonte pagadora e o valor.

Após tudo isso, confira se não está faltando nada e se os dados estão corretos.

Agora que você já entendeu como declarar Fundos de Investimentos para todos os casos, já pensou em apostar no seu futuro com um investimento que potencializa sua aposentadoria?

A Sua Previdência tem a obrigação de lhe mostrar como pode ser vantajoso investir na previdência privada. Conheça quais são os benefícios clicando aqui!

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.