Como declarar salário no IR 2020? Confira o necessário

Home / Como declarar salário no IR 2020? Confira o necessário

Como-declarar-salário

Saber como declarar salário no IR é fundamental para acertar as contas com o Leão da maneira correta. Existem detalhes pertinentes, como a inclusão de dependentes, a documentação necessária e, principalmente, os tipos de descontos atribuídos ao salário bruto.

Dentro do software para declaração do imposto de renda, o salário é um dos pontos iniciais no processo. Adiante, confira como realizar o trâmite de maneira correta, considerando todas as variações.

Quem precisa declarar salário no imposto de renda?

De início, vamos estabelecer uma forma prática para que consiga declarar o salário no IR com maior eficiência. Em primeiro lugar, a declaração só é necessária caso todos os rendimentos tenham ultrapassado o valor de R$ 28.559,70.

Como declarar salário de forma prática

Dito isso, podemos começar a declaração. O salário é registrado na seção “Rendimentos Tributáveis Recebidos de Pessoa Jurídica”. O documento que comprova todos os fatos lançados no sistema deve ser a folha de pagamento, ou um comprovante oficial que registre todas as transações da empresa.

Uma maneira de facilitar esses processos, até mais simples e direta, é consultando o Informe de Rendimentos. O documento pode ser retirado com a empresa na qual trabalha, ou através do SIGAC. Nele, constam todos os dados de recebimentos durante o período de 2019.

Para saber como declarar salário de forma eficiente, todas as discriminações exigidas no Imposto de Renda devem constar no extrato de pagamento.

Entre as informações estão pensões alimentícias, o valor retirado para o INSS, compensações, bolsas de estudo e outros valores pertinentes.

Preencha com cuidado, pois os mesmos valores declarados pelo contribuinte são feitos pela empresa.

Como funciona o desconto de IRRF?

Os valores descontados na folha de pagamento do contribuinte dizem respeito ao salário bruto.

Mensalmente, a própria empresa já desconta do salário a parcela condizente com o imposto que precisa ser pago, de acordo com a faixa salarial do funcionário.

Esses detalhes são categorizados como Imposto de Renda Retido na Fonte, o que é um passo importante em como declarar o salário.

Cada faixa salarial tem uma alíquota na qual os contribuintes devem se atentar para fazer a declaração. Para elucidar quanto aos valores, discriminamos abaixo quais são as taxas cobertas por cada faixa salarial.

  • Até R$ 1.903,98 não é cobrada alíquota
  • De R$ 1.903,99 até R$ 2.826,65, a alíquota é de 7,5% e a dedução de R$ 142,80
  • De R$ 2.826,65 até 3.751,05, a alíquota é de 15% e a dedução de R$ 354,80
  • De R$ 3.751,05 até 4.664,68, a alíquota é de 22,5% e a dedução de R$ 636,13
  • Acima de R$ 4.664,68, a alíquota fica em 27,5% e a dedução de R$ 869,36.

Saber essas taxas já lhe dá uma prévia dos valores a serem restituídos. Partindo do princípio que você deve declarar o Imposto de Renda todos os anos, você pode acompanhar essas mudanças de maneira mais consciente e mais organizada por consequência.

E quanto ao 13º salário?

No processo sobre como declarar salário, esse é um ponto que causa muitas confusões aos contribuintes pois, embora declarado, ele não é feito da mesma maneira que o restante das informações tributáveis. Especialmente este ano, em que parte dos valores foram adiantados, os contribuintes devem ter ainda mais atenção.

Para tanto, o 13º salário deve ser feito no código 01, “Rendimentos sujeitos à Tributação Exclusiva/Definitiva”, dentro da seção de “Rendimentos Tributáveis Recebidos de Pessoa Jurídica”. Informe as parcelas de maneira separada, nas datas corretas.

Uma observação importante: por conta da crise sanitária atual, uma das medidas do governo foi adiantar a primeira parcela do 13º salário de 2020. Contudo, esta não deve ser declarada no IR deste ano mas, sim, em 2021.

As mudanças para o IR 2020

Basicamente, não há mudanças sobre como declarar salário em relação aos anos anteriores. Contudo, o que exige mais atenção dos contribuintes ao declarar seus pagamentos estão nas medidas de emergência tomadas pelo governo federal em relação ao estado de pandemia pelo Sars-cov-2.

Com prazo adiado para 30 de junho, a declaração do Imposto de Renda ganhou um respiro para quem ainda não havia reunido todos os dados.

Cabe lembrar que, se o imposto de renda não for declarado até a data limite, o contribuinte pode pagar multa de até 20% da tributação cobrada. Além de cair na malha fina, o que acarreta em um processo ainda mais prolongado.

Gostou desse conteúdo? Descubra outros detalhes da sua declaração de Imposto de Renda acessando o blog da Sua Previdência Privada!

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.