Como contratar previdência privada empresarial: passo a passo

Home / Como contratar previdência privada empresarial: passo a passo

Não sabe como contratar previdência privada empresarial? Esse tipo de investimento é ideal no longo prazo para quem busca incrementar a aposentadoria.

Mas, antes de contratar um plano, é importante compreender as características do investimento.

Neste guia, você vai descobrir o que é esse tipo de aplicação e um passo a passo de como contratar previdência privada empresarial. Confira.

O que é previdência privada empresarial

Contratar previdência privada empresarial exige uma visão de longo prazo, já que a aplicação se beneficia de uma janela temporal larga. Trata-se de um complemento interessante ao INSS de funcionários de empresas e participantes de associações. 

No Brasil, quem oferece os planos na modalidade são as entidades fechadas de previdência complementar (EFPC), também chamadas de fundos de pensão.

Assim, o empregador pode contratar o plano para seus funcionários. Aí, funciona da seguinte forma: empregador e empregado fazem aportes para os fundos de investimento.

Como é uma aplicação de longo prazo, o dinheiro fica rendendo por anos, até ser resgatado pelo funcionário ao se aposentar.

Alguns planos podem incluir também benefícios extras, como proteção contra doença, invalidez ou morte. Quem fiscaliza a oferta de previdência privada empresarial no Brasil é a Previc (Superintendência Nacional de Previdência Complementar).

Antes de contratar previdência privada empresarial

Se a empresa onde você trabalha oferece previdência privada empresarial, é importante compreender alguns detalhes da aplicação antes de decidir se ela vale a pena. A seguir, confira os principais pontos a considerar nessa hora:

Foco no longo prazo

A previdência privada é um investimento de longo prazo. Por isso, você precisa ter certeza de que vai deixar o dinheiro aplicado por anos, já que a ideia é aproveitar os rendimentos somente no momento da aposentadoria. Então, veja se esse é, de fato, o seu objetivo financeiro.

Baixa liquidez

Também é preciso considerar que a previdência privada empresarial possui baixa liquidez.  Na prática, isso significa que, se quiser resgatar o dinheiro antes do prazo de vencimento, você pode acabar fazendo um mau negócio. Pode ter que arcar com uma tributação alta, por exemplo, e uma rentabilidade bem mais baixa do que a desejada.

Aportes regulares

Outro ponto relevante é que a previdência privada empresarial conta com a realização de aportes regulares. De maneira geral, o valor da contribuição do funcionário é descontado diretamente na folha de pagamento.

Benefício fiscal

Uma vantagem é que a previdência privada apresenta um benefício fiscal importante: a possibilidade de fazer restituição do Imposto de Renda.

O abatimento é disponível apenas para o plano PGBL (Plano Gerador de Benefícios Livres) e tem um limite de 12%. Portanto, é ideal para quem faz a declaração de IR completa e possui renda bruta tributável suficiente para absorver o desconto do imposto.

Benefício tributário 

A previdência privada também apresenta benefício tributário para o participante que escolhe o modelo de tributação regressivo.

Seguindo a tabela regressiva do IR, a alíquota diminui conforme o tempo da aplicação. Acima de 10 anos de aplicação, a alíquota chega a 10%, que é a menor taxa para qualquer tipo de investimento no Brasil atualmente.

Match da empresa

O match é a contribuição que a empresa faz para o plano do funcionário. O valor pode ser, por exemplo, um percentual fixo sobre a contribuição realizada pelo colaborador. 

A contribuição pode ter inclusive o mesmo valor para os dois lados. Por exemplo: se o funcionário faz aportes de R$ 100, a empresa contribui com mais R$ 100 para o fundo de investimento. Então, é importante considerar o match oferecido pelo seu empregador.

Como contratar previdência privada empresarial

Agora que você está familiarizado com as características e vantagens do investimento, é hora de descobrir como contratar previdência privada empresarial. Confira:

Diagnóstico de finanças

O primeiro passo é fazer um diagnóstico para compreender os números do seu orçamento. Dessa forma, você tem maior segurança ao definir o valor da contribuição que será destinada à previdência, sem que isso prejudique as suas finanças.

Aqui uma possibilidade é reduzir e cortar gastos desnecessários do orçamento para destinar parte do dinheiro à previdência.

Fundo de emergência

A recomendação básica de especialistas é criar um fundo de emergência antes de iniciar investimentos de longo prazo. Também conhecido como colchão financeiro, o fundo deve representar ao menos 6 meses do seu custo de vida atual.

Considerando a baixa liquidez da previdência, o fundo emergencial dá mais segurança em casos de imprevistos, em que você necessite de dinheiro rapidamente.

Consulte opções de previdência

Também é fundamental avaliar os tipos de previdência privada.

No Brasil, além da previdência complementar fechada, há planos de previdência complementar aberta. Esses, por sua vez, são destinados a qualquer pessoa e não têm relação com a empresa em que ela está empregada.

Pesquisar as diferenças e vantagens de cada modalidade é essencial na escolha do investimento mais adequado para seu perfil e objetivos.

Comece a investir

Depois de criar o fundo de emergência e escolher o plano, é hora de começar a investir. Lembre-se de que, quanto antes você iniciar os aportes, mais tempo o investimento ficará rendendo. 

E então, compreendeu o que é e como contratar previdência privada empresarial? Se ficou com dúvidas, deixe um comentário.

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.