Circuit breaker: o que é e como funciona (GUIA)

Home / Circuit breaker: o que é e como funciona (GUIA)

O circuit breaker é um mecanismo emergencial que interrompe as negociações na bolsa para evitar quedas ainda piores. Ele é acionado em momentos críticos de turbulência no mercado de ações, quando os preços caem bruscamente e o pânico toma conta dos investidores.

Com a paralisação temporária das operações, a bolsa dá tempo aos investidores para repensar suas estratégias e evitar decisões impulsivas. Se você está diante de um circuit breaker, esse é o momento de respirar fundo e esperar pelo reequilíbrio do mercado para agir, como veremos nos próximos tópicos. 

Continue lendo e entenda o funcionamento desse mecanismo. 

O que é um circuit breaker

Circuit breaker é um mecanismo acionado pela bolsa de valores para interromper as negociações em momentos de turbulência no mercado. Quando há oscilações muito bruscas e incomuns no mercado de ações, a bolsa utiliza esse recurso para amortecer e rebalancear as ordens de compra e venda, protegendo os investidores da volatilidade excessiva.

Com o circuit breaker, bolsas de valores de vários países conseguem impor limites à variação negativa de seus indicadores de desempenho, evitando que o pânico e a euforia levem os investidores a tomar decisões precipitadas em momentos críticos. Nos EUA, ele foi estabelecido na NYSE em 1987, após a chamada “segunda-feira negra” (19 de outubro, marcado pela queda de 22,61% do Dow Jones). 

Já na B3, o circuit breaker começou a valer em 1997 e já foi utilizado em momentos como a crise cambial de 1999, crise do subprime de 2008, Joesley Day em 2017 e crise do coronavírus em 2020. Nesses episódios, a queda abrupta das ações disparou o mecanismo, dando tempo aos investidores para colocar a cabeça no lugar e realinhar suas estratégias diante da crise. 

Quando o circuit breaker é acionado

O circuit breaker funciona como uma trava de segurança em momentos conturbados da bolsa de valores, e possui algumas regras de acionamento definidas por cada instituição. No Brasil, a interrupção é acionada conforme o percentual da queda, seguindo as seguintes regras:

  • Queda de 10%: quando o Ibovespa tem uma queda superior a 10% sobre o índice de fechamento do pregão anterior, é disparado o primeiro circuit breaker, paralisando as negociações por 30 minutos e fixando o novo limite em -15%
  • Queda de 15%: após 30 minutos, as operações são reabertas. Se a bolsa continuar caindo e chegar na queda acumulada de 15%, ocorre o segundo circuit breaker seguido e as atividades são suspensas por mais uma hora
  • Queda de 20%: se a queda persistir após uma hora e atingir a porcentagem de 20% em relação ao fechamento anterior, é disparado um terceiro circuit breaker e a própria B3 decide por quanto tempo as negociações devem ficar paradas. 

As regras só não são aplicáveis na última meia hora de funcionamento do pregão. Se ocorrer uma paralisação na última hora das operações, é possível prorrogar o circuit breaker apenas uma vez por 30 minutos na reabertura do mercado. 

Como manter a calma diante do circuit breaker

O circuit breaker é um momento perigoso, pois é fácil sucumbir ao pânico e tomar decisões impensadas ao ver as cotações indo ladeira abaixo. 

Para evitar traumas e prejuízos, siga estas dicas. 

Entenda a função do circuit breaker

Apesar da suspensão das negociações parecer assustadora, o circuit breaker existe justamente para promover o reequilíbrio das ordens de venda e compra e fazer com que o mercado volte ao seu movimento natural. Não à toa, é comum que no dia seguinte ao acionamento os preços voltem ao normal e a bolsa opere em alta.

Mesmo nas paralisações sucessivas, o mecanismo é útil para dar tempo aos investidores e evitar que as atitudes por impulso prejudiquem os investimentos ou desencadeiem uma queda descontrolada nos preços. 

Proteja seu capital por conta própria

Em vez de esperar pelo circuit breaker da bolsa, você também pode tomar medidas para proteger seu capital das oscilações bruscas. Um exemplo são as ordens stop loss e stop gain, que permitem programar a venda automática de ações quando atingirem determinado preço (limite de perda ou ganho). 

Assim, você garante que os papéis serão vendidos antes de uma desvalorização significativa ou no momento mais oportuno para manter seus ganhos. 

Lembre-se dos fundamentos

É claro que a queda nos ativos é preocupante, mas é importante considerar se o circuit breaker foi causado por um fator externo (uma crise econômica ou política, por exemplo). Afinal, se você está investindo em negócios sólidos, é muito provável que eles superem a fase mais difícil e sigam dando bons resultados assim que a crise passar.

Por isso é importante usar a análise fundamentalista na hora de investir em ações, buscando negócios com retorno consistente e gestão estratégica.

Controle o emocional

O maior inimigo do investidor no momento do circuit breaker é o descontrole emocional, que pode levar a negociações desesperadas, prejuízos monumentais e um trauma permanente da bolsa de valores. Por isso, respire fundo, pense na sua estratégia e, se necessário, deixe para ver as cotações em outro momento para não se render ao “mercado em pânico”. 

Se você tem uma visão de longo prazo e ações sólidas, o circuit breaker será apenas um pequeno ponto de oscilação na sua trajetória — que se tornará insignificante para os retornos futuros. 

Gostou das dicas para se acalmar nos momentos críticos da bolsa? Então, esfrie a cabeça e use nossos conteúdos como referência para investir de forma estratégica.

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.