Aposentadoria na Caixa Previdência: descubra como investir em seu futuro

Home / Aposentadoria na Caixa Previdência: descubra como investir em seu futuro

Será que a aposentadoria na Caixa Previdência é a escolha certa para você planejar o seu futuro financeiro? Só tem um jeito de descobrir: analisando as características dos planos e fundos oferecidos pela instituição.

Essa avaliação é fundamental para entender previamente a rentabilidade do investimento, considerando os fundos disponíveis e as taxas cobradas. Se você quer uma ajuda extra para fazer o  mapeamento, sugerimos a  leitura deste artigo.

Caixa Previdência para a aposentadoria: vale a pena? 

A aposentadoria na Caixa Previdência é uma opção de investimento para quem r mais segurança financeira no futuro e uma renda alternativa, além do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) . Na modalidade, você realiza aportes regulares, e o dinheiro é aplicado em fundos de previdência por gestores profissionais.

E graças à incidência de juros compostos, o fundo rende no longo prazo. Ou seja, ,a rentabilidade é uma das principais vantagens de investir  na previdência privada, sem que haja urgência para resgate do dinheiro.  contratar um plano de previdência, é necessário ficar atento às taxas cobradas pela instituição financeira porque elas impactam no montante que você vai resgatar no futuro. 

Na aposentadoria da Caixa Previdência, as taxas são as seguintes:

  • Taxa de carregamento de entrada: isenta;
  • Taxa de carregamento de saída: reduz conforme o tempo de permanência no plano. Isenta a partir de 36 meses;
  • Taxa de administração: varia conforme o valor aplicado e a modalidade de fundo escolhida.

Além disso, é importante ter em mente que a previdência privada é um investimento de longo prazo —como uma aposentadoria mesmo. Então, tenha certeza de que esse é o seu objetivo financeiro previamente.

Como são os fundos de previdência da Caixa 

Quem busca investir para a aposentadoria na Caixa Previdência deve levar em consideração os tipos de fundos do banco. Cada um tem rentabilidade e graus de risco diferentes. A seguir, confira os principais:

Renda fixa

Os fundos de renda fixa da Caixa possuem uma carteira mais conservadora: aproximadamente 90% dos recursos são aplicados em títulos públicos e 10%, em privados. É a opção que oferece mais segurança ao investidor.

Renda variável 15

Nesse tipo de fundo, 15% dos recursos são aplicados em renda variável e 85%, em títulos públicos e privados. A taxa de administração dos fundos da categoria varia entre 1,25% e 3%.

Renda variável 30

É uma categoria para quem quer investir majoritariamente em renda fixa, mas incluir renda variável na carteira para aumentar o lucro e, potencialmente, as oscilações de curto prazo. A carteira é formada por até 30% de recursos aplicados em renda variável e 70%, em títulos públicos e privados.

Renda variável 49

Esta é uma categoria para quem está disposto a correr certo risco em busca de uma rentabilidade maior. Até 49% dos recursos são aplicados em renda variável e 51%,em títulos públicos e privados.

Crédito privado

Na categoria, até 80% dos recursos são aplicados em títulos privados e 20%, em públicos. A taxa de administração varia de 0,6% a 2,5%, dependendo do fundo escolhido.

Índice de preços

Quem investe nesse tipo de fundo tem uma carteira composta majoritariamente pelos NTN-B (títulos públicos atrelados ao IPCA,). O restante dos recursos é aplicado em outros títulos públicos

Multimercado estratégia livre

Para quem tem mais tolerância ao risco, esse tipo de fundo é ideal. A carteira é diversificada e busca por oportunidades de rentabilidade a curto e médio prazo para ações, câmbio e títulos públicos, privados e internacionais.

Como investir na Caixa Previdência para a aposentadoria

Se você gostou dos fundos e características da Caixa Previdência para a aposentadoria, veja três passos essenciais para começar a investir:

1. Abra conta na Caixa

O investimento é disponível para correntistas da Caixa. Caso você ainda não seja cliente do banco, abra a sua conta na agência mais próxima. 

O serviço pode se contratado pelo aplicativo da Caixa e pelos canais de atendimento do banco.

2. Escolha o plano e a tributação

Na contratação da previdência da Caixa, você precisa definir o plano e o regime de tributação da previdência. Existem duas opções para cada um desses fatores.

Os planos são o PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre) e VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre):

  • O PGBL permite restituição de até 12% da renda bruta tributável, e a alíquota incide sobre o valor total do investimento. É indicado para quem usa formulário completo de declaração de IR (Imposto de Renda).
  • O VGBL não permite restituição, mas a alíquota incide apenas sobre os rendimentos. É ideal  para quem usa formulário simplificado de IR.

Já os regimes de tributação são o progressivo e o regressivo:

  • O progressivo é tributado à alíquota de 15% na fonte. O valor é ajustado posteriormente na hora de declarar o IR, e segue as alíquotas previstas na tabela progressiva, variando de 0 a 27,5% conforme a renda.
  • O regressivo tem alíquota que diminui com o tempo. Começa em 35% para investimentos de até dois anos e chega em 10% para investimentos a partir de 10 anos.

3. Comece a investir

Depois de definir as características do plano e contratar a previdência privada, é hora de começar a investir. Faça um planejamento financeiro para realizar aportes regulares e, desta forma, aumentar sua rentabilidade.

Será que investir  na Caixa Previdência faz sentido para o seu futuro? Se as dicas deste artigo foram úteis, compartilhe com seus amigos.

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.